10 de outubro – Dia Mundial da Saúde Mental

Por 10 de outubro de 2017Notícias

O Dia Mundial da Saúde Mental é comemorado no dia 10 de Outubro desde 1992. Todos os anos, a Federação Mundial de Saúde Mental escolhe um tema.  A intenção da comemoração é colocar temas da saúde mental nas agendas dos governos, para além de centrar a atenção pública na Saúde Mental global, como uma causa comum a todos os povos, para além de limites nacionais, culturais, políticos ou socioeconômicos.

Defende-se a valorização da Saúde Mental, criando uma paridade entre esta e a saúde física nas prioridades das opções governativas dos Estados. Alerta-se também para as necessidades específicas das pessoas com doenças mentais.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a saúde mental uma prioridade e defende que a questão da saúde mental não é estritamente um problema de saúde.

 

Neste dia realizam-se colóquios para se encontrar soluções para os problemas relacionados com a saúde mental e coordenar esforços na luta contra esta realidade. O tema do Dia Mundial da Saúde Mental é: “Dignidade na Saúde Mental: Primeiros Socorros de Saúde Mental e Psicológica para Todos”.

 

A importância da saúde mental aliada à saúde física

Maíra A. Andrade Madeira

Durante muito tempo preocupou-se bastante com a saúde física, deixando de lado a saúde mental e psíquica do indivíduo.

Atualmente, começaram a perceber que a saúde psíquica é tão importante quanto à física. Para uma enfermidade física, na maioria dos casos, temos tratamentos e remédios que são capazes de combater os sintomas. Já a saúde psíquica ainda é estigmatizada, e em alguns casos, os sintomas passam despercebidos durante a rotina do dia a dia.

“Estar de bem” com a vida é o fator principal para a felicidade.

Ainda temos doenças psíquicas mascaradas, pois é “louco” quem vai ao psiquiatra ou até mesmo ao psicólogo. Mediante a este pensamento temos inúmeras pessoas sofrendo de depressão, ansiedade, transtornos alimentares, pós traumáticos, entre outros.

Vivemos num momento em que tudo é urgente, todos os prazos são “para ontem”, tudo precisa ser rápido. Em toda história da humanidade as pessoas nunca tiveram uma mente tão agitada como nos dias de hoje. Tudo é motivo para irritação imediata, desde a demora no processamento de um aplicativo, até o tempo do sinal de trânsito em meio a um engarrafamento.

Muito tem se falado dos números crescentes de pacientes com depressão, mas os números de indivíduos que apresentam sintomas de ansiedade vêm crescendo assustadoramente. A ansiedade é um estado emocional que envolve medo, preocupação, angústia e apreensão com desconforto subjetivo, ou seja, sentimento incômodo e projetado para o futuro. O ansioso vive em estado de alerta constante por conta de situações que podem acontecer.

A visita ao psicólogo deveria ser incluída nos exames de rotina, pois todos nós passamos por situações em que não conseguimos total entendimento dos nossos sentimentos.

As doenças psíquicas, por sua vez, estão cada vez mais presentes na vida do ser humano, independente de idade. Temos crianças ansiosas e/ou depressivas mediante ao fracasso escolar, separação dos pais, entre outros fatores. Adolescentes que não conseguem fazer a escolha profissional sem orientação prévia, além de conflitos próprios desta fase, incluindo as transformações corporais, tentativas de mostrar originalidade e seu ponto de vista individualizado das questões sociais, entre outras. Adultos que precisam de acompanhamento devido à mudança de emprego, desemprego, separação, entre outros. Com isso, podemos perceber que em algum momento da vida a pessoa pode precisar de auxílio para melhor entender as mudanças, que podem ser vistas como positivas e/ou negativas.

No caso das crianças, pode ocorrer de serem diagnosticadas indevidamente. A sociedade aceita melhor as doenças que podem ser medicalizadas, desta forma temos crianças diagnosticadas com hiperatividade, quando em alguns casos trata-se de limite e organização de tarefas do dia a dia. Nestes casos, o melhor seria  a realização de avaliação psicológica realizada por psicólogos, que mediante a estas ferramentas, podemos detectar dificuldades que podem ser tratadas em psicoterapia, evitando muita das vezes, a medicalização indevida.

Os sinais e sintomas das patologias psíquicas não ocorrem de forma aleatória. Eles estão associados à alguma coisa, pessoa e/ou situação. A descoberta destes sinais e/ou sintomas, adequadamente, viabilizam ou facilitam o desenvolvimento de procedimentos terapêuticos e preventivos mais eficazes.

O bem estar psíquico atua diretamente na motivação do indivíduo, tornando-o mais produtivo em seu dia a dia.

 

 Maíra Amaral de Andrade Madeira

Psicóloga (CRP 05/32352), Orientadora Vocacional com foco em Avaliação Psicológica. Na área clínica trabalha com adolescentes com Terapia Cognitivo-Comportamental. Atualmente é Diretora e Responsável Técnica do NIDH, empresa especializada na prestação de serviços na área da Psicologia. Paralelo ministra cursos e palestras relacionados à área de Recursos Humanos, Avaliação Psicológica e Orientação Vocacional.

 

 

Abraços,

Equipe NIDH

 

 

Deixe uma Resposta