Avaliação Psicológica infantil

Por 31 de julho de 2019Notícias

Nos últimos anos, os problemas comportamentais da infância e adolescência têm recebido atenção especial de profissionais da saúde mental infantil, educadores e pais. São milhares de estudantes brasileiros com prejuízos acadêmicos e que precisam desenvolver estratégias para lidar com dificuldades emocionais, aprendendo habilidades sociais e comportamentais para levarem uma vida mais feliz e equilibrada.

A necessidade da avaliação psicológica de crianças é uma demanda frequentemente presente na prática profissional do psicólogo, especialmente nos contextos clínico e educacional. Para além do aspecto diagnóstico, a avaliação infantil pode ter um caráter preventivo importante, uma vez que possibilita a identificação precoce de condições que podem trazer consequências para o desenvolvimento ao longo da vida.

A avaliação psicológica é um procedimento clínico que envolve um corpo organizado de princípios teóricos, métodos e técnicas de investigação tanto da personalidade como de outras funções cognitivas. A Avaliação Psicológica Infantil, também conhecida como Psicodiagnóstico, tem como objetivo auxiliar diagnósticos e encaminhamentos. É realizada através de:

  • Investigação do histórico do desenvolvimento da criança (incluindo entrevistas com pais, professores e demais pessoas de maior convívio com a criança);
  • observações clínicas;
  • testes psicológicos;
  • técnicas projetivas;
  •  além de outros procedimentos de investigação clínica, como jogos, desenhos, o contar estórias, o brincar, etc.

A escolha das estratégias e dos instrumentos empregados é feita sempre de acordo com o referencial teórico, o objetivo (clínico, profissional, educacional, forense, etc) e a finalidade (diagnóstico, indicação de tratamento e/ou prevenção).

O processo de avaliação psicológica  leva em torno de 8 à 10 sessões, e ao final é realizado a entrega de um documento psicológico com os resultados para os pais/responsáveis da criança.

Pensando do contexto escolar, a Avaliação é interessante, por exemplo, para crianças que apresentam dificuldades na aprendizagem da leitura, escrita, cálculo, assim como na interação com seus pares. Dificuldades de atenção e concentração também são indicativos de que algo não vai bem. Por isso, é importante uma investigação minuciosa do que pode estar prejudicando a criança. No entanto, a Avaliação não se resume a casos de baixo rendimento escolar, pois crianças com altas habilidades também podem ser avaliadas. Além disso, transtornos de ansiedade, humor, social, alimentares, também são candidatos para Avaliação Psicológica.

Atualmente a avaliação psicológica no Brasil é definida pela lei que regulamenta a profissão do psicólogo, como função privativa dessa categoria. Isso quer dizer que nenhum outro profissional pode realizar uma avaliação psicológica. Além disso, também é restrito ao profissional psicólogo a compra, guarda e o sigilo, tanto dos materiais utilizados quanto dos documentos e resultados gerados a partir do processo.

Como somos seres humanos, tanto individualmente como socialmente, evoluímos de maneira dinâmica, e por isso é preciso compreender que toda avaliação psicológica está verificando um momento específico da vida de uma pessoa, como o recorte de uma situação e, portanto, os resultados podem ser diferentes em momentos distintos da vida dos indivíduos.

 

Maíra Amaral de Andrade – Psicóloga (CRP 05/32352), Orientadora Vocacional com foco em Avaliação Psicológica. Na área clínica trabalha com Terapia Cognitivo-Comportamental. Atualmente é Diretora e Responsável Técnica do NIDH, empresa especializada na prestação de serviços na área da Psicologia. Paralelo ministra cursos e palestras relacionados à área de Recursos Humanos, Avaliação Psicológica e Orientação Vocacional.

 

 

 

Abraços,

Maíra A. Andrade

Psicóloga – CRP 05/32352

Deixe uma Resposta