Janeiro Branco – Campanha 2018

Por 12 de janeiro de 2018Notícias

Quem cuida da mente, cuida da vida!

O objetivo da Campanha Janeiro Branco é colocar temas da saúde mental em máxima evidência no mundo em nome da prevenção e do combate ao adoecimento emocional da humanidade.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) tem uma definição simples, porém verdadeira, do termo saúde – um completo estado de bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doenças ou demais enfermidades.

Um dos relatórios da OMS em colaboração com a Victorian Health Promotion Foundation e a University of Melbourn, há tópicos importantes sobre a promoção de saúde mental e sua importância, tanto nas esferas individual, social e econômica. Neste mesmo documento introduz-se a ideia de que a saúde mental é indissociável da saúde como um todo, é mais do que ausência de transtornos mentais. Desta forma, está intimamente ligada à saúde física e ao comportamento.

Até recentemente, a ideia dominante era a de que o termo Saúde Mental se referia apenas ao oposto de doença (ou doente) mental. Desta forma, quem buscava os servidços de saúde mental, automaticamente recebia o rótulo e o estigma de doente ou “louco”.

Mas afinal, quando consultar um psicólogo?

Veja, agora, uma lista básica que pode lhe ajudar a entender algumas situações nas quais consultar um Psicólogo Clínico pode fazer toda a diferença na vida da pessoa:

  • quando os dias se sucedem e você não vê graça, nem sentido, em acordar, sair da cama e fazer as milhares de coisas que a vida, o mundo e as pessoas esperam de você;
  • quando você percebe que seus sentimentos, pensamentos e/ou comportamentos estão lhe provocando prejuízos pessoais e/ou sociais, angústias, tristezas ou quaisquer outras sensações desagradáveis e das quais você não consegue se ver livre;
  • quando a sua relação com você mesmo, com o mundo e/ou com as outras pessoas não ocorre mais de uma maneira saudável, satisfatória e capaz de produzir bons sentimentos de realização pessoal e social em você;
  • quando a sua relação com o trabalho gera angústia e sofrimento ao invés de orgulho e sensação de realização profissional em você;
  • quando o seu relacionamento afetivo com a família tornou-se conflituoso, difícil e angustiante
  • quando as suas expectativas em relação ao seu futuro pessoal e/ou profissional forem pessimistas e obscuras;
  • quando a sua sexualidade e/ou desempenho sexual forem motivos de angústia e/ou ansiedade em sua vida;
  • quando traumas, lembranças e memórias da sua própria vida forem motivos de sofrimento no presente e desesperança em relação ao futuro;
  • quando a família, ou o relacionamento afetivo, ou o trabalho ou qualquer outra situação da sua vida lhe exigir uma decisão muito difícil de ser tomada;
  • quando inesperados e/ou dolorosos novos acontecimentos em sua vida deixaram-lhe com uma sensação interminável de impotência, tristeza ou angústia;
  • quando você se dá conta de que todas as situações anteriormente apresentadas são passíveis de ocorrer na vida de qualquer pessoa e que, portanto, é possível prevenir-se conhecendo-se melhor e trabalhando as suas próprias características subjetivas.

Viu como um Psicólogo Clínico pode ajudar uma pessoa em diversas situações e circunstâncias da vida? Se você se identificou com alguma das possibilidades apresentadas na lista, considere a possibilidade de cuidar de si mesmo por meio da psicoterapia.

Como o Janeiro Branco pode ajudar as pessoas?

1) Incentivando-as a pensar: o ano mudou – vamos mudar de vida também?

2) Convidando-as a entender: assim como os anos, a vida é feita de ciclos – devemos concluir aqueles que não nos fazem bem e iniciar os que nos farão felizes!

3) Fazendo-as perceber: a virada de ano é o momento simbólico que a humanidade criou para parar um pouco e pensar sobre si mesma – essa é uma boa hora para aproveitarmos o exemplo e fazermos o mesmo em relação as nossas próprias vidas!

4) Encorajando-as a responder: Janeiro abre as portas de um novo ano para todos – será mesmo que precisamos repetir as escolhas ou condições do ano que passou e que nos impediram de ser, verdadeiramente, felizes?

5) Motivando-as a calcular: um novo ciclo de 12 meses está se abrindo a nossa frente – há tempo de sobra para qualquer um de nós fazer por onde ser feliz e ajudar aos outros nessa tarefa.

Você também quer ajudar?

Se você quer saber mais sobre a Campanha e nos ajudar a torná-la a maior campanha do mundo em nome da Saúde Mental e da Felicidade da humanidade, compartilhe os textos, os vídeos e os links dos seus endereços virtuais: www.janeirobranco.com.br e www.facebook.com/campanhajaneirobranco. Quanto mais pessoas a conhecerem e entrarem em contato com as suas propostas, mais longe ela poderá chegar e mais pessoas conseguirá beneficiar.

Ajude-nos a mostrar ao mundo inteiro que cuidar da mente é cuidar da vida e que, onde há Saúde Mental, há paz, sorrisos e muita harmonia nos relacionamentos entre as pessoas.

Abraços,

Equipe NIDH

  

 

 

 

 

Deixe uma Resposta